Dica: Como preservar a pintura da sua moto

moto-honda-300r-1

Alguns cuidados simples, que podem ser facilmente incorporados na rotina de  qualquer proprietário de motocicletas, vão ajudar – e muito – a evitar danos e  conservar a pintura da sua companheira de duas rodas. É importante manter a  pintura impecável para não ter prejuízos na hora da revenda – mesmo pequenos  estragos na estrutura podem desvalorizar qualquer veículo ou gerar muito gastos na  oficina.

Evitar riscos, arranhões e desgaste na pintura não é uma missão impossível, mas  primeiramente é essencial que o proprietário conheça o tipo de pintura que foi  realizada em sua motocicleta. Em alguns modelos mais antigos, ainda é possível  encontrar a pintura sólida sem verniz, que hoje é muito pouco utilizada em virtude  de sua menos resistência à ação do tempo. Já as pinturas sólidas, com verniz, são amplamente utilizadas pelos fabricantes atualmente, apresentando cores mais cintilantes e dando à moto um aspecto mais brilhante. Se essa foi a pintura realizada em sua moto, o foco é a conservação do verniz, que é o responsável pela camada protetora da tinta aplicada nas partes pintadas.

Confira dicas úteis e medidas simples que evitam danos e preservam a pintura de sua moto:

Limpeza

Manter a moto constantemente limpa é primordial. O acúmulo de sujeira é um dos maiores causadores de riscos. Não espere até a lavagem para retirar a poeira, terra ou barro de sua moto, caso contrário, o atrito da sujeira acumulada com a pintura vai agredir o verniz e os danos serão inevitáveis. Limpe sua moto com um pano molhado sempre que for possível, mas atenção: utilize apenas água ou um produto específico para limpeza de motos, o sabão neutro é uma ótima opção e você ainda pode usar para limpar o capacete. Os detergentes comuns são abrasivos e danificam a pintura. Nunca utilize panos secos que só irão arrastar a sujeira pela lataria e causar arranhões.

Lave com calma e cuidado

Um erro muito comum é lavar a moto com equipamentos pressurizadores de água. A pressão faz com que água se infiltre na parte elétrica, além de desgastar o verniz. O ideal é realizar a lavagem sempre com água fria, que deve ser espalhada delicadamente com uma esponja ou pano macio. Utilize somente um xampu próprio para esse fim e o enxágue o mais rápido possível. De preferência, lave a moto na sombra para evitar as manchas que o sol pode causar enquanto a moto está ensaboada. Enxugue a moto com o pano bem macio (por exemplo, as fraldas de pano), e a deixe repousada no cavalete lateral até que toda água escorra de partes empoçadas, redobrando esse cuidado nas partes cromadas para evitar ferrugem. Tenha muita atenção na hora de utilizar o querosene para limpar o motor e as rodas: caso ele entre em contato com as partes plásticas e de borracha, pode causar ressecamento, e caso ela atinja a pintura o resultado serão manchas que só um funileiro será capaz de reparar.

Cera

Se a pintura está em perfeitas condições, utilize cera automotiva incolor líquida. As ceras em pastas são eficientes para a remoção de pequenos riscos, e por isso são um pouco abrasivas, portanto só a utilize se tiver extrema habilidade na hora da aplicação, ou o desgaste do verniz será inevitável. E seja qual for a cera utilizada, respeite sempre as instruções de uso do fabricante.

Guarde bem a sua moto

Mantenha sua moto protegida das chuvas e do sol. A acidez da água da chuva corrói o verniz, e a exposição prolongada ao sol altera a pigmentação da tinta de sua moto, dando um aspecto envelhecido e desgastado. Se sua garagem não é coberta, utilize uma capa para protegê-la da ação desses fatores naturais, além do acúmulo de poeira e sujeira.

Mas lembre-se: mais importante que a pintura da sua moto é o seu funcionamento.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br