Equipe Honda Mobil vence abertura do Brasileiro de Motocross 2013 em Carlos Barbosa (RS)

Wellington Garcia ficou com a vitória na geral da MX1
Thales Vilardi e Paulo Alberto comandaram dobradinha na categoria MX2;

Carlos Barbosa (RS) – Arquibancadas lotadas, público fanático, mais de 300 inscritos e o motódromo Fabiano Audibert, em Carlos Barbosa (RS). O cenário da abertura do Campeonato Brasileiro de Motocross 2013 não poderia ser melhor. No frio da Serra Gaúcha, a Equipe Honda Mobil dominou as principais categorias. Thales Vilardi e Paulo Alberto conquistaram a dobradinha para equipe na MX2, enquanto o goiano Wellington Garcia venceu na geral da MX1.
Duas corridas intensas e ritmo forte. Foi assim que Thales, com a Honda CRF 250R, venceu as duas corridas e alcançou a liderança da competição. Com Paulo Alberto não foi diferente. O português mostrou capacidade, chegou a andar na ponta, mas só não venceu porque o companheiro de equipe estava numa tarde bastante inspirada.
Já na MX1, Wellington Garcia mostrou que ainda tem gás para fazer frente aos adversários. Com pilotagem segura, o goiano conquistou dois segundos lugares e a vitória no geral da categoria. Joaquim Rodrigues finalizou em quarto na primeira bateria. Só não foi melhor na prova final em razão de uma queda.
O Campeonato Brasileiro de Motocross dá pausa de 40 dias e volta nos dias 25 e 26 de maio. A segunda etapa acontece em Três Lagoas (MS).
MX1 – Boa largada de Joaquim Rodrigues na primeira corrida, que assumiu o segundo lugar, atrás de Carlos Campano. Em terceiro, Wellington Garcia perseguiu o companheiro e ainda no início o ultrapassou. Joaquim viu Jean Ramos encostar e os dois duelaram pela terceira colocação. Terminou em quarto. Já Wellington manteve o ritmo e chegou em segundo. Campano venceu.
Quando o gate da segunda prova baixou, Joaquim pulou para segundo, atrás de Jean. Já Wellington teve azar e saiu apenas em 10º. Em recuperação, o goiano deu um gás impressionante, ultrapassando fortes concorrentes como Carlos Campano, Adam Chatfield e Jean Ramos. Na segunda colocação, o piloto foi atrás do ponteiro Jorge Balbi. Chegou à ponta, mas não a manteve e finalizou em segundo. Resultado suficiente para vencer a etapa. Já Joaquim sofreu uma queda e teve que ir atrás do prejuízo. De 13º cruzou a linha de chegada em oitavo.
MX2 – Com 40 pilotos e o gate lotado, a primeira bateria da categoria começou agitada. O satélite Honda Endrews Armstrong, da Dunas Team, fez o holeshot, mas ainda na primeira volta foi ultrapassado por Thales Vilardi. O piloto oficial Honda seguiu na frente até o fim e venceu. Em terceiro, Paulo Alberto passou algumas voltas tentando ultrapassar Endrews. Deu o bote e assegurou o segundo lugar.
Na bateria final, Endrews saiu novamente bem do gate. No entanto, na primeira curva, o satélite Honda foi ultrapassado por Thales Vilardi. Já Paulo Alberto precisou de algumas voltas para chegar entre os primeiros. Em segundo, iniciou uma caça ao companheiro de equipe. E a persistência do português deu certo. Na sétima volta ultrapassou Thales e foi para liderança. No entanto, na sequência, cometeu um erro e caiu para segundo. E assim foi até o fim.
Júnior – Em corrida de recuperação, o satélite Honda Vitor Almeida, da Dunas Team, conquistou um lugar no pódio ao finalizar na terceira colocação. Enzo Lopes comandou a prova e saiu com a vitória.
MXF – Na categoria para mulheres, a satélite Honda Stefany Serrão, da Vulcano Ipiranga IMS, fez ótima corrida e duelou pela primeira colocação até o término. No fim, ficou em segundo. Mariana Balbi saiu vitoriosa.
Thales Vilardi (São Paulo-SP), Equipe Honda Mobil, 1º da MX2 na geral da etapa:
“Não poderia ser um fim de semana melhor. Foi duro e desgastante, mas consegui ganhar as duas baterias. Eu e o Paulo andamos muito bem e fomos recompensados. Tive uma disputa limpa com ele e assim será ao longo do ano. Vou continuar focado em fazer o melhor. É isso que esperam de mim”.
Paulo Alberto (Leiria-Portugal), Equipe Honda Mobil, 2º da MX2 na geral da etapa:
“Fiquei surpreso com minha rápida adaptação e o entrosamento com a equipe. Nesta etapa fiz voltas rápidas e andei entre os primeiros. Tive uma ótima disputa com o Thales, mas na segunda bateria cai e perdi um pouco de ritmo. No geral o resultado foi ótimo, pois conseguimos uma dobradinha”.
Wellington Garcia (Goiânia-GO), Equipe Honda Mobil, 1º da MX1 na geral da etapa:
“Esta é a vitória da confiança e é muito positiva. Trabalhei duro nestes últimos meses para chegar aqui e dar o meu máximo. Estou muito feliz com o primeiro lugar na geral. Estou mais motivado. Agora é manter a tranquilidade e focar nas próximas provas”.
Joaquim Rodrigues (Barcelos-Portugal), Equipe Honda Mobil, 6º da MX1 na geral da etapa:
“Esta etapa foi muito importante pois eu precisava conhecer meus adversários. Estou em um lugar novo, com pistas e pilotos diferentes. Necessitava de uma prova para avaliar tudo isso. Consegui um quarto lugar na primeira bateria, mas na segunda acabei caindo e machuquei minha coxa direita. Bom, agora é se recuperar para o Arena Cross”.
Wellington Valadares (Indaiatuba-SP), Equipe Honda Mobil, chefe de equipe:
“Estou contente com esta dobradinha na MX2 e, principalmente, com o desempenho do Wellington na MX1. Tenho conversado com ele diariamente e sempre afirmo que ele é capaz de andar na frente. Hoje provou isso. O Paulo me surpreendeu nesta etapa, pois vinha de lesão, assim como o Joaquim. Eles estão se adaptando e aos poucos vão dar resultados. O trabalho está sendo feito. Temos que ter calma. O campeonato está no início. Confio em meus pilotos e vamos lutar até o fim”.
A Equipe Honda de Motocross tem o patrocínio de Mobil, Pirelli e IMS, e co-patrocínio Vulcano, DRD e Oakley.